Saude na Internet    Desde 1998

início > Saúde da gestante > Imunização de prematuros contra o Vírus Sincicial Respiratório - VSR

Imunização de prematuros contra o Vírus Sincicial Respiratório - VSR


Os bebês prematuros requerem um cuidado especial. Além de sua imaturidade imunológica, muitas vezes esses pequenos pacientes, devido à longa permanência nas UTIs neonatais, acabam não sendo amamentados, sendo privados assim desse importante fator de proteção.

É comum o atraso no início da imunização do prematuro, quer por receio de aplicar as vacinas, quer por insegurança com relação à sua eficácia protetora.

De uma maneira geral o calendário vacinal deve respeitar a idade cronológica da criança, e os atrasos devem ser evitados.


VÍRUS SINCICIAL RESPIRATÓRIO:


O VSR é o principal agente causador de doenças respiratórias em crianças menores de 2 anos de idade, responsável por quadros de bronquiolite e pneumonias, que muitas vezes levam à hospitalização dessas crianças.

É um vírus sazonal, ou seja, circula somente numa determinada época do ano.

Nas regiões Sul e Sudeste, entre o outono e o inverno (março a setembro), e nas regiões Norte e Nordeste do Brasil, na estação das chuvas (a partir de dezembro e janeiro), precedendo a estação do sul do país.

A infecção ocorre em todas as idades, porém são os lactentes os que mais padecem da enfermidade, apresentando chiados, tosse e falta de ar.

Crianças maiores, adolescentes e adultos exibem um quadro clínico mais leve, que lembra um resfriado comum; todavia são eles muitas vezes que infectam os pequenos bebês.

Prematuros, portadores de doença pulmonar crônica e cardiopatas são considerados os grupos de maior risco para infecção grave.

São considerados fatores de risco para a infecção: desmame precoce, irmão em escola, domicílio populoso, exposição ao tabaco e o uso de drogas que diminuem a imunidade.

Os prematuros, por apresentarem um sistema imune frágil, costumam ser hospitalizados 10 vezes mais que recém-nascidos a termo pelo VSR, por isso a grande preocupação de prevenir a doença nesse grupo.

Não há uma vacina contra o VSR, porém a proteção pode ser obtida através da utilização de uma imunoglobulina específica contra ele, que nada mais é do que um anticorpo pronto, direcionado contra o vírus, que é conhecido como palivizumabe.

Ele deve ser oferecido aos lactentes de risco durante a sua fase de circulação (sazonalidade).

São considerados recém-nascidos altamente recomendados para receber a profilaxia os prematuros nascidos com menos de 28 semanas de gestação (sete meses) e os portadores de doença cardíaca e de doença respiratória crônica.

Pré-termos nascidos com 29 a 32 semanas também podem se beneficiar da prevenção.

São cinco doses mensais consecutivas, aplicadas através de uma injeção intramuscular, na dose de 15 mg por quilo de peso do bebê.

Prematuros que recebem alta hospitalar durante a sazonalidade do VSR devem receber a primeira dose ainda na maternidade, antes da alta.
PUBLICIDADE


PUBLICIDADE

Publicado em: 25/08/2010. Última revisão: 01/03/2018
 COLABORADORES 

Redação Saúde na Internet


Erika Figueiredo - CR Comunicação
todos artigos publicados

 PARA SABER MAIS 
CAMPANHA PREMATURO IMUNIZADO É PREMATURO PROTEGIDO
Campanha criada pela SBIM (Sociedade Brasileira de Imunizações) tem o objetivo de informar aos profissionais da saúde, com o intuito de promover a adequada imuniza&cced
A Associação Brasileira de Imunizações (SBIM) nasceu como entidade apta a promover o agregamento das comunidades envolvidas com temas ligados a imunização e prevenção de infecções, pro