Saude na Internet    Desde 1998

início > Saúde da gestante > Bebês prematuros e vacina Tríplice Bacteriana

Bebês prematuros e vacina Tríplice Bacteriana


É comum o atraso no início da imunização do prematuro, quer por receio de aplicar as vacinas, quer por insegurança com relação à sua eficácia protetora.

Seis em cada 100 bebês nascidos no Brasil são gerados antes de completar o período ideal de 37 a 40 semanas dentro do ventre materno.

Além disso, muitas vezes estão recebendo medicamentos que reduzem a sua imunidade, são portadores de doenças pulmonares e cardíacas, anemias e outras condições debilitantes.

De uma maneira geral o calendário vacinal deve respeitar a idade cronológica da criança, e os atrasos devem ser evitados.


TRÍPLICE BACTERIANA:

Evita três importantes doenças, felizmente hoje controladas através do uso em larga escala dessa vacina combinada.

Embora extremamente segura, é uma vacina que muitas vezes pode levar a alguns eventos adversos, como febre, irritabilidade e dor no local da aplicação.

O uso de uma formulação acelular dessa vacina reduz bastante a probabilidade de reações e deve, sempre que possível, ser a escolha no calendário do prematuro.

São dadas 5 doses na infância, aos 2, 4 e 6 meses, e dois reforços, aos 15 meses e aos 4 anos de idade.
PUBLICIDADE


PUBLICIDADE

Publicado em: 25/08/2010. Última revisão: 23/06/2018
 COLABORADORES 

Redação Saúde na Internet


Erika Figueiredo - CR Comunicação
todos artigos publicados

 PARA SABER MAIS 
CAMPANHA PREMATURO IMUNIZADO É PREMATURO PROTEGIDO
Campanha criada pela SBIM (Sociedade Brasileira de Imunizações) tem o objetivo de informar aos profissionais da saúde, com o intuito de promover a adequada imuniza&cced
A Associação Brasileira de Imunizações (SBIM) nasceu como entidade apta a promover o agregamento das comunidades envolvidas com temas ligados a imunização e prevenção de infecções, pro