Saude na Internet    Desde 1998

início > Saúde da família > Estresse infantil: grandes problemas para pessoas pequenas

Estresse infantil: grandes problemas para pessoas pequenas


Quando se fala de estresse, pensamos em uma doença só dos adultos, porém essa não é a realidade. As brigas entre os pais, a mudança de casa ou de escola, a exigência de conhecer novos amigos e as excessivas tarefas, também podem transformar as crianças em vítimas deste problema.

O doutor Tito Antonio Rosan, psiquiatra, presidente da Fundação para a Pesquisa do Déficit Atencional e Hiperquinesia e diretor da Clínica Heras S.A. em Buenos Aires, Argentina, vem dizendo há anos que as exigências que suportam as crianças, "sobre tudo as tendências centrífugas que afetam o núcleo familiar atual e também os excessivos estímulos relacionados ao aprendizado nas escolas constituem fatores de risco que podem provocar estresse infantil".

O mesmo diz a psicóloga mexicana Aurora Jaimes; \"em certas sociedades e núcleos existem muitas exigências acadêmicas, relacionadas com o esporte e o estudo, que requerem esforço e dedicação constante para obter um primeiro lugar na escola, sendo estas obrigações uma fonte de estresse\".

Os pais devem trabalhar para manter o lar e esta atividade pode demandar muito tempo fazendo com que tornem-se em indivíduos ausentes na casa, que só exijam o rendimento das crianças sem apoio afetivo. Esto ultimo é vital para evitar o estresse e poder perceber o que o filho sente.

As causa mais freqüentes de estresse infantil são:

* Disfunção familiar, separação ou abandono dos pais.
* Mudança da casa, cidade o escola.
* A chegada de um novo irmão.
* Dificuldades de adaptação social.
* Morte de algum parente.
* A competitividade e a exigência nas escolas.

Condutas alarmantes

Os sintomas do estresse nas crianças menores de cinco anos:

* Irritabilidade
* Choro mais do usual.
* Desejo de estar sempre nos braços
* Pesadelos.
* Medos excessivos à escuridão, aos animais ou à estar sozinhos.
* Mudanças no apetite.
* Dificuldades na fala.
* Retorno a comportamentos infantis já superados, como urinar na cama ou chupar o dedo.

Os sintomas do estresse nas crianças de entre 5 a 11 anos são:

* Irritabilidade.
* Agressão.
* Choros.
* Necessidade de chamar a atenção dos pais competindo com os irmãos.
* Apresentar dores físicas sem existir doenças.
* Afastamento dos colegas.

Aurora Jaimes explica que os pais devem estar atentos à alguma das manifestações e no caso que assim seja, recorrerr ao profissional, \"dado que o desenvolvimento da criança pode ser afetado\".

A doutora Brenda Rivera, psiquiatra e psicoterapeuta do Hospital Angeles del Pedregal, na cidade de México aconselha que quando a criança tem estresse \"o primeiro passo que deve ser dados pelos pais é de se acalmar e dar-lhe segurança, demostrando que conta com o apoio que eles precisam\".

Se o estresse chega a passar desapercebido pelos pais e não é tratada corretamente, corre-se o risco de que se desenvolva outro tipo de patologias associadas, como a depressão. Isto pode ser evitado se os paia tiverem tempo de olhar com calma o seu filho.
PUBLICIDADE


PUBLICIDADE

Publicado em: 01/02/2001. Última revisão: 19/09/2018
 COLABORADORES 

Jornalista Loreto Lázaro Hübner - especial para a Saúde na Internet


Aurora Jaimes, psicóloga do Departamento de Psicologia Médica, Psiquiatria e Saúde Mental da Faculdade de Medicina da Universidade Nacional Autônoma de México, na Cidade de México.
todos artigos publicados


Dra. Brenda Rivera, psiquiatra e psicoterapeuta do Hospital Angeles del Pedregal, na Cidade de México.
todos artigos publicados


Dr. Tito Antonio Rosan, psiquiatra e presidente da Fundação para a Pesquisa do Deficit Atencional e Hiperquinesia, diretor médico da Clinica as Heras S.A. e docente do Instituto Universitário de Ciências da Saúde de Buenos Aires, Argentina
todos artigos publicados