Saude na Internet    Desde 1998

início > Saúde da gestante > A primeira doença do bebê

A primeira doença do bebê


Para alguns pais de primeira viagem e também para os mais experimentados, a primeira enfermidade do bebê é sempre um motivo de preocupação: o organismo do pequeno ainda está débil diante das infecções, além do mais, não carrega os anticorpos necessários para os diversos tipos de vírus que saltitam ao seu redor.

O mais freqüente é que a primeira enfermidade chegue dentro do primeiro ano de vida e, na maioria dos casos, trata-se de uma enfermidade respiratória que não trará grandes conseqüências.

De qualquer forma, é importante que os pais estejam instruídos para enfrentar a primeira turbulência na saúde do pimpolho.

O pediatra Álvaro Téllez, do Centro Médico de Diagnóstico San Joaquín, da Universidade Católica do Chile, testemunhou à Saúde na Internet que os pais devem estar informados, já que o cuidado do pequeno é de sua responsabilidade.


Como reconhecer um bebê enfermo

O primeiro ano de vida supõe um processo de adaptação gigantesco, por parte do corpo do bebê, que, depois de ficar submerso no líquido amniótico dentro do útero, incorpora-se ao meio ambiente em que passará o resto de sua vida.

O meio em que vivemos está repleto de bactérias, diante das quais, o sistema imunológico do pequeno, ainda imaturo, fracasso na tentativa de defender o corpo desses invasores.

Por isso, os responsáveis pelo nenê devem considerar que o entorno apropriado deve manter-se sobre certas circunstâncias:

- evitar que o menor se exponha a ambientes de muito risco, como muita gente em espaços pequenos sem ventilação, por exemplo,

- prevenir o contato com fontes de germens, como outras pessoas infectadas por vírus ou bactérias,

- manter uma boa ventilação na casa. Deve-se tomar cuidado com sistemas de calefação (em regiões mais frias) que podem contaminar o ambiente.

O especialista explica que, durante os três primeiros meses de vida, o risco de enfermidades respiratórias é maior.

Resfriado, faringite aguda, otite, bronquite e problemas nas amígdalas, encontram nos pequenos um espaço para se desenvolver.

Para reconhecer quando uma enfermidade está atacando a saúde da criança, é importante prestar a atenção em certos sinais que os pais podem aprender a interpretar:

- falta de apetite; seja peito ou mamadeira,
- pouca energia (cansaço aparente),
- dificuldade persistente em respirar,
- sintomas que progridem como: diarréia, irritabilidade, febre e vômitos.


Ajudando o bebê

Antes de ir ao médico, é importante que os responsáveis pela criança saibam como reagir em caso de febre.

Além do mais, deve-se avaliar a necessidade de um adulto acompanhar constantemente a criança.

Aprender a reagir, em caso de algum sinal de enfermidade, não apenas diminui a angústia e ansiedade, como também reduz a demanda por recursos médicos e, por outro lado, permite que os serviços de saúde estejam disponíveis nos casos mais urgentes.

Os centros de saúde devem fornecer a informação necessária para que se enfrente as enfermidades dos pequenos. Além do mais, existem revistas e livros especializados que abordam o tema.

Alguns conselhos básicos são:

- avaliar a gravidade da enfermidade,
- observar a evolução dos sintomas,
- manter um ambiente adequado e numa temperatura agradável,
- não abrigar excessivamente a criança, vestindo-a, sempre que possível, com roupas cômodas,
- manter uma boa hidratação da criança,
- continuar com a alimentação sempre que possível.
PUBLICIDADE


PUBLICIDADE

Publicado em: 03/02/2001. Última revisão: 26/07/2018
 COLABORADORES 

Jornalista Miguel Valdívia - especial para a Saúde na Internet


Dr. Alvaro Téllez, pediatra do Centro de Diagnóstico Médico San Joaquín, da Universidade Católica, em Santiago do Chile.
todos artigos publicados