Saude na Internet    Desde 1998

início > Saúde da família > Primeiras ceias - Dicas para a alimentação das crianças

Primeiras ceias - Dicas para a alimentação das crianças


Com as ceias de final de ano à vista, os pais ficam em dúvida sobre o que as crianças pequenas já podem comer.

Além disso, nessa época, aumentam os casos de gastroenterite, que pode ser causada por vírus, protozoários ou bactérias, geralmente decorrente de uma intoxicação alimentar.

Cuidados de higiene, nesse caso, são fundamentais para evitar o problema.

“A partir de um ano de idade, já não há restrição alimentar. Entretanto, é importante ter cautela com os alimentos muito gordurosos, os condimentados e os ricos em açúcar”, explica a nutricionista do Prontobaby – Hospital da Criança, Aline Huguenin Araujo, do Rio de Janeiro.

As frutas secas como damasco, noz, avelã, castanha de caju, castanha-do-pará, uva passa e ameixa, por exemplo, podem ser dadas para as crianças porque contêm vitaminas e minerais, além de Ômega 3.

“Trata-se da gordura benéfica que, entre outras funções, protege contra doenças cardiovasculares”, explica Aline.

Higiene para evitar doenças

Quando a gastroenterite é grave, apresenta sinais e sintomas como a desidratação, a diarreia prolongada e a desnutrição, a criança pode precisar ser internada, de acordo com a avaliação do pediatra.

“As famílias devem ser orientadas quanto aos sinais de desidratação, que são olhos fundos, boca seca, pouca urina e muita sede”, enumera a nutricionista do Prontobaby, Aline Huguenin Araujo.

O volume e frequência aumentada das evacuações pode não significar piora do quadro.

Junto com o pediatra, deve-se avaliar a presença de distensão abdominal, vômitos, estado de hidratação, aspecto geral da criança e se houve perda de peso.

“É extremamente importante ter cuidados básicos de higiene durante a manipulação dos alimentos. Lavar as mãos antes de preparar a comida, após as interrupções no preparo e ao oferecê-la para as crianças”, orienta Aline.

Como os alimentos das ceias de final de ano costumam ficar expostos, a especialista aponta para a necessidade de consumir imediatamente os alimentos cozidos ou mantê-los em refrigeração.

Vale também evitar o contato de alimentos crus com os cozidos, seja direto ou indireto: mãos, moscas e superfícies sujas.

Durante o preparo, usar água filtrada, cozinhar bem os alimentos, lavar cuidadosamente frutas e hortaliças com água limpa e descascá-las sempre que possível.

A especialista destaca que a procedência do alimento merece atenção.

É importante verificar a data do preparo, a validade e a higiene do local, por exemplo.
PUBLICIDADE


PUBLICIDADE

Publicado em: 23/12/2009. Última revisão: 30/12/2018
 COLABORADORES 

Mercia Ribeiro
mercia@rmcomunicacao.com.br
Ricardo Machado Comunicação

todos artigos publicados

 PARA SABER MAIS 
Prontobaby - Hospital da Criança - Serviços pediátricos de emergência, laboratoriais, UTI, emergência, centro cirúrgico, internação e banco de sangue. R. Adolfo Mota, 81, Tijuca, Rio de Janeiro.