Saude na Internet    Desde 1998

início > Saúde da mulher > Desfrute a Páscoa sem efeitos colaterais

Desfrute a Páscoa sem efeitos colaterais


Com a chegada da Páscoa, as crianças já contam nos dedos quantos ovos devem ganhar de presente.

Mas será que o chocolate pode ser consumido ao sabor da gula infantil?

Segundo a endocrinologista Cristiane Jesus Pacheco, do Prontobaby – Hospital da Criança, no Rio de Janeiro, a resposta é não.

Embora o chocolate seja rico em nutrientes, ele deve ser consumido com moderação.

“O excesso de chocolate pode promover ganho de peso e distúrbios gastrointestinais, como diarréia, náuseas e vômitos”, alerta a especialista.

Segundo ela, o doce deve ser evitado por crianças com menos de um ano. Já para as maiores, moderação é a palavra de ordem. “Recomendo evitar o consumo diário e não ultrapassar 30 gramas de chocolate por dia”, diz Cristiane.

Como nem sempre é possível controlar os excessos, a endocrinologista do Prontobaby dá a seguinte orientação aos responsáveis: “Em casos de diarréia é preciso suspender o doce e hidratar a criança com líquidos. Se houver desidratação, deve-se procurar um hospital”.

O chocolate pode provocar reações alérgicas em crianças com alergia a algum de seus componentes.

“Nesses casos deve-se parar de consumir e procurar orientação médica”, observa a endocrinologista.

Pequenos com intolerância à lactose devem consumir chocolate que não contenha leite e seus derivados.

“Alguns ovos sem lactose estão disponíveis no mercado. Chocolates amargos e meio amargos não contêm leite e também podem ser consumidos”, diz Cristiane.

Já para os diabéticos, o ovo diet pode ser uma boa alternativa. “Mas o consumo deve ser bem moderado, porque ele tem uma quantidade de gordura maior do que o ovo tradicional”, adverte a especialista.

Segundo Cristiane, desde que saboreado com moderação, o chocolate faz bem para o corpo e para a mente.

“Ele contém nutrientes como cálcio, fósforo, proteínas e outros minerais necessários ao organismo, é fonte de antioxidantes (especialmente o amargo) que combatem os radicais livres e ajuda a diminuir o colesterol. Também leva ao estímulo à produção de serotonina promovendo bem estar e aliviando a tensão”, afirma.
PUBLICIDADE


PUBLICIDADE

Publicado em: 09/04/2009. Última revisão: 09/04/2018
 COLABORADORES 

Dra. Cristiane Jesus Pacheco é endocrinologista do Prontobaby - Hospital da Criança - Rio de Janeiro
todos artigos publicados


Mercia Ribeiro
mercia@rmcomunicacao.com.br
Ricardo Machado Comunicação

todos artigos publicados