Saude na Internet    Desde 1998

início > Saudável depois dos 60 anos > Alimentação na reabilitação de pessoas com deficiência

Alimentação na reabilitação de pessoas com deficiência


Além dos exercícios da fisioterapia e a da terapia ocupacional, a boa alimentação tem importante papel no processo de reabilitação.

Devido às limitações físicas, é essencial que pessoas com deficiência ou com sequelas de um Acidente Vascular Cerebral (AVC) tenham uma alimentação balanceada, pois a dificuldade em perder peso pode prejudicar a reabilitação.

Segundo a coordenadora da Nutrição da Rede de Reabilitação Lucy Montoro, ligada à Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência, Sofia Boschetti, é muito comum que pacientes com lesão medular apresentem excesso de peso.

“Na fisioterapia, o paciente com sobrepeso pode ter dificuldade em ficar de pé e sobrecarregar o joelho, impedindo a continuidade do tratamento”, exemplifica Sofia.

Além da prevenção à obesidade, outra linha de tratamento é a dietoterapia.

Trata-se de orientações baseadas no peso e nos hábitos alimentares do paciente para evitar problemas cardiovasculares e casos de hipertensão.

“Quem já sofreu um AVC não está livre de outro. Nesses casos, preparações ricas em sódio, como feijoada, mortadela, macarrão instantâneo, hambúrguer e temperos devem ser evitados”, aconselha a nutricionista.

Sofia acredita que a obesidade pode ser fruto não só da má alimentação.

Os pacientes ficam ansiosos e exageram no consumo. Muitos dizem que já têm muitos problemas e ignoram o sobrepeso.

O ideal é que o paciente tenha uma dieta saudável e não ganhe peso.
PUBLICIDADE


PUBLICIDADE

Publicado em: 01/04/2011. Última revisão: 26/09/2018
 COLABORADORES 

Daniela Iacobucci
Assessoria de Imprensa - Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência

todos artigos publicados