Saude na Internet    Desde 1998

início > Saúde da mulher > Afinal, o que é o orgasmo?

Afinal, o que é o orgasmo?


O orgasmo

O orgasmo, também conhecido como clímax ou gozo, é o ponto máximo do prazer sexual.

Segundo a definição da Wikipedia, antes do orgasmo, a concentração de sangue nos genitais chega ao máximo, e durante o clímax, ocorrem contrações musculares desta zona do corpo.

Logo após, surge a sensação de relaxamento na região genital, e em muitos casos, por todo o corpo.

Nos homens, geralmente ocorre a ejaculação durante o orgasmo.

Deixando de lado as reações corporais, o orgasmo é percebido como uma sensação de prazer.


Mitos sobre o orgasmo

Existem muitos estudos sobre o orgasmo. Muitos, entretanto, não conseguem determinar aspectos científicos que possam nos levar a conclusões definitivas.

Segundo o jornal espanhol El País, uma pesquisa recente sobre sexo afirma que 86% dos homens reconhecem que aproveitam mais o sexo quando suas parceiras são intelectualmente inferiores.

Outra pesquisa indica que as mujeres que se relacionam com homens mais inteligentes atingem melhor o orgasmo.

A relação entre inteligência e orgasmo pode não ser mais que um mito, como outros milhares que circulam pelo imaginário coletivo, ou mesmo pela internet.


A química do amor

O investigador Gert Holstege, da Universidade de Groningen, Holanda, examinou, através de um tipo de escaner, chamado TEP, o cérebro de 13 mulheres e 11 homens durante o orgasmo.

Os resultados foram surpreendentes.

"O mais interessante foi que descobrimos que durante o orgasmo todas as regiões do cérebro relacionadas com o medo ou alerta se apagam e isso é algo que nunca havíamos visto antes", explica o especialista ao jornal espanhol.

O orgasmo produz uma espécie de sensação de transe, desconectando nosso cérebro de muitas atividades exteriores.

Existem diferenças pequenas entre os orgasmos masculino e feminino.

Nas mulheres, esse apagão é muito mais visível que nos homens, mesmo que nos orgasmos masculinos eles também ocorram.

O orgasmo representa o final de um ciclo sexual que começa com uma mera excitação, onde o sangue atinge o pênis ou o clítoris.


O orgasmo dos homens

Nos homens, o orgasmo é breve, não durando mais que alguns segundos. Após, é necessário um período de recuperação para poder iniciar o ciclo novamente.

O sexólogo Alfred Kinsey, em seu estudo clássico de 1948, disponibilizou as primeiras estatísticas realmente confiáveis sobre o orgasmo experimentado pelos homens: 75% alcançam o orgasmo muito rapidamente, já nos primeiros minutos do ato sexual.

Embora o tamanho do pênis seja frequentemente associado ao prazer no ato, o sexólogo esclarece que o tamanho varia mais quando o membro está em repouso, já que ereto, essa diferença é consideravelmente reduzida.


O orgasmo das mulheres

Ao contrário dos homens, o orgasmo nas mulheres podem durar algo entre vinte segundos e dois minutos.

Entretanto, então porque, segundo as estatísticas, apenas 25% das mulheres experimentam o orgasmo durante o ato sexual?

Essa pregunta parece ainda estar longe de ser respondida.

Historicamente, os aspectos relacionados com a sexualidade feminina passam pela obscuridade ou muitas vezes estiveram relacionados até com a bruxaria. Orgasmo e clítoris muitas vezes foram tratados como “assunto proibido”.


Mutilação feminina

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), em 2008, mais de 80 milhões de mulheres e meninas africanas, entre 18 e 49 anos, sofreram a mutilação do clítoris.

Essa abominácel prática é tida como tradição em paises como Índia, Indonesia, Malasia, Paquistão, Sri Lanka, Egito, Etiópia e Sudão.

O mais nefasto é que, embora essa prática esteja associada a crenças religiosas, ela não é mencionada em nenhum momento, seja na Bíblia ou no Alcorão.


Alcançando o orgasmo

De certo, há o consenso de que experimentar o prazer intenso do orgasmo está intimamente relacionado com o autocontrole e a autoestima.

Por essa razão, para que se alcançe o prazer máximo, os jogos sexuais e o clima de envolvimento entre o casal muitas vezes passam a ser mais importantes do que a simples fixação pelo orgasmo propriamente dito.


Publicado em: 25/04/2009. Última revisão: 10/05/2018
 COLABORADORES 
Dr. Gert Holstege Dr. Gert Holstege, professor da Universidade de Groningen, Holanda.
todos artigos publicados


Redação Saúde na Internet

 PARA SABER MAIS 
Jared Diamond
Why is Sex Fun? The Evolution of Human Sexuality
ISBN 0-465-03127-7
Orgasmo. ¿Qué, cómo, por qué?
Caderno Sociedad
EL PAÍS SEMANAL - domingo 8 de março de 2009