Saude na Internet    Desde 1998

início > Saúde da família > Chupeta: Quando e por que usar?

Chupeta: Quando e por que usar?


Tanto para o recém-nascido de termo, como para o pré-termo (prematuro) o uso da chupeta tem se mostrado de grande importância.

Existem vários pontos de vista em relação há este fato, mas uma coisa é regra básica,"Sempre deve-se buscar o aleitamento ao seio exclusivo como a meta principal". Todo e qualquer artifício utilizado, que leve a qualquer risco desta prática ser interrompida, deve ser muito discutido.

Ela acalma a criança, propiciando menos gasto energético, dá ritmo, coordenação, força muscular e melhora a oxigenação transcutânea ("aproveitamento" do oxigênio através da pele), e evita o sugar o dedo, que pode se tornar um hábito (no início como pacificador de uma necessidade sensório motora e futuramente trazendo danos às áreas fonoarticulatórias).

O hábito de sugar o dedo, promove o padrão anteriorizado da língua entre as gengivas ou dentes, causando deformação na arcada dentária e alteração da produção de sons como: T, "te", D "de", S "se", Z "ze" e N "ne" . Pode ainda se tornar um apoio a situações de frustração sócio afetivas. O desaparecimento deste hábito é extremamente difícil, uma vez que o dedo tem presença constante no esquema corporal.

Recomenda-se então o uso da chupeta ortodôntica, devido a sua forma anatômica semelhante ao seio materno. Esta semelhança com o mamilo permite a elevação da ponta da língua na cavidade oral, estimulando a preparação das zonas de contato da língua para uma deglutição que não provoque alteração da arcada dentária, e também ajudando a produção dos sons como: T "te”, D "de", N "ne" ,L "lê”, R "re" e " lhe". Sua forma permite também uma melhor pressão dos lábios em virtude de seu formato achatado e bulbo curto.

Porém, o uso da chupeta não deve se estender além do final do segundo ano de vida, pois então ela se tornaria prejudicial.

Faz-se necessário então, a disciplina com relação à utilização da mesma. Quando a criança fica acordada por um período de tempo maior, é conveniente não utilizá-la, neste tempo a criança entretêm-se com as mãos, explora brinquedos, balbucia como forma de exercitar a musculatura oral.

Aconselha-se o uso da chupeta em situação de cansaço e sono. Depois que a criança já está em sono profundo a mesma deve ser retirada.

Por volta dos dois anos ou dois anos e meio, se faz necessário a substituição da chupeta. Muitas crianças necessitam de um elemento de transição para "sugar". Este deve ser um brinquedo macio e aconchegante, pelo qual ela tenha afeto e também que lhe faça companhia.

Quando necessário o uso de mamadeira, utilizar bicos ortodônticos, pela semelhança do bico do seio materno. Quanto as vantagens, são as mesmas mencionadas em relação à chupeta.
PUBLICIDADE


PUBLICIDADE

Publicado em: 01/09/2000. Última revisão: 03/12/2017
 COLABORADORES 
Dr. Carlos Patara Dr. Carlos Patara - médico graduado pela Universidade São Francisco em bragança Paulista S.P - Especialista em Pediatria pela SBP. Instrutor de reanimação Neonatal pela American Academy of Pediatrics e SBP. Atua como Médico Pediatra do Corpo Clínico Serviço de Pediatria e Puericultura do Hospital Novo Atibaia - Atibaia – SP
CRM:60.871

todos artigos publicados


Dra. Vera Miotto Kawakami - Fonoaudióloga - CRFa 1615 - Grupo de Estudos da Criança do HMA.
todos artigos publicados

 PARA SABER MAIS 
Fonoaudiologia em Berçário Normal e Alto Risco
Dra Claudia Regina Furquim de Andrade, Fonoaudiologista, edição de 1996