Saude na Internet    Desde 1998

Sarcoma


O sarcoma ou sarcoma de partes moles é um tipo de câncer originário em cartilagem, gordura, músculo, vasos sanguíneos e tecido conjuntivo ou de sustentação.

Compreende cerca de 0,7% de todas as doenças malignas e a idade média de doentes com sarcomas é de 45 anos.

Esses tumores são, pois, predominantes em crianças e adultos jovens, tanto homens com mulheres.

Técnicas especializadas, como a imunohistoquímica, ajudam a categorizar os sarcomas em dezenas de variedades, conforme o tipo de tecido específico que deu origem à célula maligna.

A célula de origem determina a classificação dos sarcomas dos tecidos moles. Os mais frequentes são os fibrosarcomas, liposarcomas, histiocitomas fibrosos malignos e os sinoviosarcomas.

Pode afetar qualquer área do corpo que tenha tecidos moles (cartilagem, gordura, músculo, vasos sanguíneos e tecido conjuntivo ou de sustentação).

Em 60% das vezes, os locais atingidos são as extremidades (membros superiores ou inferiores).

As causas não são claras.

Causas putativas incluem herbicidas e conservantes usados na indústria da madeira.

O dióxido de tório (Thorotrast), usado antigamente como agente de contraste radiográfico, e o cloreto de vinil aumentam a incidência de sarcomas dos vasos sanguíneos do fígado (angiossarcoma hepático), e os asbestos aumentam a incidência de sarcomas da pleura (mesoteliomas).

As complicações tardias da radioterapia incluem sarcomas dos ossos e, em menor extensão, sarcomas dos tecidos moles.

Os fatores genéticos podem ser importantes.

Certas doenças hereditárias raras aumentam o risco de sarcomas dos tecidos moles, incluindo a neurofibromatose, esclerose tuberosa, síndrome de Gardener, e a síndrome de Li-Fraumeni.

Numerosas anormalidades cromossômicas têm sido identificadas. Na maioria dos casos, não se identifica uma causa específica.

Uma das características desse tipo de câncer é causar sintomas locais, como dor ou limitação de movimento. Varia conforme o local do tumor.

Além disso, uma das características dessa doença é disseminação pela corrente sanguínea, especialmente para os pulmões.


Prognóstico do sarcoma:


O prognóstico de doentes com sarcomas das partes moles varia com o grau histológico, tamanho do tumor, localização do tumor primário, envolvimento dos gânglios linfáticos e metástases à distância.

Os doentes com sarcoma localizado (estágio I) possuem 80% de chance de cura.

Se a doença é disseminada, somente 10% dos pacientes estarão vivos em cinco anos. Nos casos de recorrência, 80% das vezes isso ocorre nos primeiros dois anos de evolução.


Tratamento do sarcoma:

O tratamento consiste em cirurgia ampla, com retirada da lesão com margens livres (sem deixar tumor, mesmo microscópico, no local).

Em alguns casos, está indicado agregar radioterapia (radiação localizada) e/ou quimioterapia (tratamento endovenoso).
PUBLICIDADE


PUBLICIDADE

Publicado em: 05/03/2012. Última revisão: 07/07/2018
 COLABORADORES 

Comunicação do Sistema de Saúde Mãe de Deus
todos artigos publicados

Dr. Stephen Doral Stefani Dr. Stephen Doral Stefani é oncologista clínico do Instituto do Câncer Mãe de Deus, graduado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, residência médica em Clínica Médica e em Oncologia Clínica. Fez parte de seu treinamento na University of California San Francisco em um programa conjunto com Stanford. É presidente do capítulo Brasil da International Society of Phamacoeconomics ans Putcome Resear ch (ISPOR) e chair do comitê latinoamericano de políticas de saúde. Membro ativo da American Society of Clinical Oncology (ASCO).
todos artigos publicados