Saude na Internet    Desde 1998

início > Saúde do homem > Problemas cardíacos e fatores de risco do câncer de próstata

Problemas cardíacos e fatores de risco do câncer de próstata


Estudo a ser publicado na revista científica Cancer Epidemiology, Biomarkers & Prevention revela que a doença arterial coronariana pode ser um fator de risco para o câncer de próstata.

O estudo foi conduzido pela equipe de pesquisadores da Universidade de Duke e de Washington, nos Estados Unidos.

Uma amostra de 6.390 homens participou do estudo entre 50 e 75 anos.

Todos realizaram biopsia da próstata e forneceram um histórico médico detalhado, incluindo o peso, histórico de doença coronariana, uso de álcool e medicações, dentre outros fatores.

Desses homens, 547 apresentaram história de doença arterial. Esses homens revelaram maior risco de desenvolverem câncer de próstata ao longo do tempo.

Aos dois anos do estudo, esses homens apresentaram uma propensão de desenvolvimento dessa modalidade de câncer de 24%. Aos quatro anos de estudo, esse risco aumentou para 74%.

Além disso, esses homens eram mais propensos a terem hipertensão, diabetes e hipercolesterolemia, bem como a ter usado medicações para o tratamento da doença arterial coronariana.

De acordo com o oncologista Dr. Stephen Doral Stefani, do Instituto do Câncer Mãe de Deus, o estudo sugere que as duas patologias podem ter causas comuns.

Possivelmente, a doença arterial coronariana não leve ao câncer de próstata, mas é o tipo de estilo de vida que pode gerar o risco do desenvolvimento de ambas as patologias.

Dr. Stephen comenta que esse estudo evidencia um aspecto importante, que são necessárias medidas preventivas em longo prazo para se manter a saúde.

O envelhecimento é um fator de risco para uma série de doenças, especialmente as doenças coronarianas e o câncer, mas um estilo de vida pouco saudável predispõe ainda mais as pessoas a diversas patologias, principalmente nessa fase de vida.

Ele complementa dizendo que há evidências científicas a respeito.

Por exemplo, a prática regular de exercícios físicos pode reduzir o risco relativo de câncer entre 10% a 30%. Se aliado a outras práticas saudáveis, essa redução pode ser bastante significativa.

“É fundamental que as pessoas tenham consciência que devem buscar uma alimentação saudável, realizar exercícios físicos regularmente, evitar o fumo e o álcool ao longo de suas vidas. Assim, estarão promovendo uma melhor qualidade de vida, além de um envelhecimento mais saudável”, enfatiza o especialista.

Segundo o INCA, o câncer de próstata é o segundo mais comum entre os homens, ficando atrás apenas do câncer de pele.

No Brasil, a estimativa de novos casos para 2012 é de 6.180. Além disso, a doença arterial coronariana também tem alta incidência em homens, sendo a patologia mais comum dentre as cardíacas.
PUBLICIDADE


PUBLICIDADE

Publicado em: 30/03/2012. Última revisão: 13/05/2018
 COLABORADORES 

Comunicação do Sistema de Saúde Mãe de Deus
todos artigos publicados

Dr. Stephen Doral Stefani Dr. Stephen Doral Stefani é oncologista clínico do Instituto do Câncer Mãe de Deus, graduado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, residência médica em Clínica Médica e em Oncologia Clínica. Fez parte de seu treinamento na University of California San Francisco em um programa conjunto com Stanford. É presidente do capítulo Brasil da International Society of Phamacoeconomics ans Putcome Resear ch (ISPOR) e chair do comitê latinoamericano de políticas de saúde. Membro ativo da American Society of Clinical Oncology (ASCO).
todos artigos publicados

 PARA SABER MAIS 
Thomas J. A. et al. Prostate Cancer Risk in Men with Baseline History of Coronary Artery Disease: Results from the REDUCE study. Cancer Epidemiol Biomarkers Prev., no prelo, 2012. Disponível em: http://cebp.aacrjournals.org/content/early/2012/02/1