Saude na Internet    Desde 1998

início > Saúde do homem > Priapismo: uma urgência que todo homem deve ter conhecimento!

Priapismo: uma urgência que todo homem deve ter conhecimento!


Chama-se de PRIAPISMO, o estado de ereção prolongada mesmo após um orgasmo. Geralmente essa condição pode ser dolorosa ou não, sendo a primeira mais frequente. Por se tratar de doença que pode levar ao quadro de impotência sexual definitiva, quando diante dessa situação o paciente deve recorrer a um urologista conhecido ou a um pronto atendimento, no hospital mais próximo.

Existem dois tipos de priapismo:

* 1. Lesão venosa, que é a situação onde o sangue que chega ao pênis através das artérias, não consegue retornar ao corpo por uma obstrução no conjunto de veias que drenam o pênis. Por esse motivo, a pressão do sangue dentro do pênis é elevada, com pouco oxigênio e a dificuldade do sangue chegar até as fibras sensitivas do pênis, gera um quadro doloroso.

* 2. Lesão arterial, que é a situação onde há a ruptura de uma ou mais artérias que levam o sangue até o pênis. Nessa situação, o sangue chega em grande volume e de forma rápida ao pênis, enquanto o escoamento é lento, gerando assim o estado de ereção prolongada. Como não há deficiência de chegada de sangue às fibras sensitivas do pênis, geralmente esse quadro é indolor.

Causas de priapismo

* Lesão venosa: anemia falciforme, substâncias que provocam ereção artificial quando injetadas no pênis (papaverina), doenças neurológicas que geram um quadro de lesão de fibras nervosas envolvidas no mecanismo de ereção (hérnia de disco intervertebral, por exemplo) e algumas situações de utilização de medicamentos como hipotensores (prazosin), anti-depressivos (p.ex: fluoxetine = Prozac), anticoagulantes(heparina), bebidas alcoólicas e drogas como cocaína. Acidentes com grande lesão do períneo e hemorragia local, podem também comprometer a drenagem do sangue peniano por compressão e gerar um quadro de priapismo.

* Lesão arterial: condições que gerem ruptura das artérias que levam o sangue para o pênis como trauma perineal e/ou peniano. A grande diferença estará na consistência do pênis que nessa condição, não é de tanta rigidez como no caso da lesão venosa uma vez que mesmo que de forma mais lenta que à chegada do sangue, o sangue consegue deixar o pênis e por esse motivo, pode gerar um estado parcial de ereção e que pode perdurar por um longo período, sem causar dor e muitas vezes sem prejudicar o ato sexual.

O tratamento do priapismo muitas vezes necessita de atendimento médico URGENTE. No caso da lesão venosa, a primeira conduta é puncionar o pênis para aspirar o sangue que se encontra estagnado dentro de pênis e pela mesma punção, introduzir substâncias como noradrenalina que ajudariam na detumescência (regressão da ereção) peniana. Caso essa manobra não solucione o problema, há necessidade de intervenção cirúrgica, para se criar uma comunicação de escape do sangue (chamada de shunt) e com isso, permitir a saída do sangue estagnado no interior do pênis. Na lesão arterial, muitas vezes a ligadura cirúrgica da artéria sangrante ou a obstrução dessa artéria por cateterismo (embolização), resolve o problema.


Publicado em: 01/11/2000. Última revisão: 13/09/2018
 COLABORADORES 
Dr. Cid da Fonseca Zauli Dr. Cid da Fonseca Zauli - graduado em medicina pela UFF (RJ). Especialista em Urologia Geral e Infertilidade Masculina pelo Hospital Porte de Choisy, Paris-França em 1988. Titulado especialista pela Sociedade Brasileira de Urologia em 1987. Diretor da Clínica Urológica Cid Zauli S/A em São Paulo.
todos artigos publicados