Saude na Internet    Desde 1998

início > Saúde da família > O que fazer em caso de emergência

O que fazer em caso de emergência


O que é uma emergência médica

Todas as pessoas deveriam aprender a reconhecer uma emergência médica.

Saber exatamente quando procurar assistência médica especializada é uma das coisas mais importantes que você pode fazer pela saúde de sua família.

Em algumas situações, é difícil diferenciar uma emergência de verdade de um problema corriqueiro.

Apenas um médico está capacitado a estabelecer diagnósticos, mas existem alguns sinais que você pode saber para não congestionar serviços de Pronto-Atendimento.

Os seguintes sintomas sugerem urgência:

- Dificuldade para respirar,
- Dor ou sensação de pressão no abdômen,
- Desmaios,
- Tonteiras súbitas,
- Alterações súbitas do estado mental (como confusão, comportamento bizarro, etc),
- Dor intensa repentina em qualquer lugar do corpo,
- Sangramentos que não cessam após 10 minutos de pressão contínua,
- Vômitos intensos ou persistentes,
- Tosse ou vômitos com sangue,
- Pessoa apresentando tendências suicidas ou homicidas.


O que fazer?

Tenha sempre à mão o endereço do local de pronto-socorro mais próximo disponível.

Chegar rapidamente ao serviço de atendimento de urgência pode ser decisivo em muitas situações!


Levar a vítima ou chamar a ambulância?

Quando chamar uma ambulância ao invés de levar a pessoa doente até o serviço de pronto-atendimento?

Algumas dicas podem ajudar a identificar situações de maior perigo:

- Existe risco de vida iminente ou possibilidade de complicações sérias até o caminho para o local do atendimento?
- Mover a pessoa pode piorar a situação?
- A vítima necessita de equipamentos ou assistência médica especializada para remoção do local?
- Você acredita que o tráfego ou a distância podem retardar a chegada da vítima ao hospital ?

Se a resposta for “sim” para qualquer uma dessas perguntas, então é melhor chamar uma ambulância.


Chamando o socorro

Quando telefonar pedindo ajuda em uma situação de emergência, fale pausadamente e com clareza, dando seu nome, endereço, número de telefone e localização da vítima (por exemplo: no quarto de dormir ou no quintal).

Não desligue até que o(a) atendente lhe peça para fazê-lo.


Acompanhando a vítima

Acompanhar uma pessoa até um serviço de atendimento de urgência pode demorar mais do que o esperado.

O médico pode ter vários casos mais urgentes para atender, priorizando aqueles com maior risco de vida.

Muitas vezes, casos como cólicas renais e contusões superficiais, por exemplo, têm que aguardar enquanto pacientes baleados e vítimas acidentes automobilísticos graves são atendidos primeiro.

Além disso, pode ser necessário aguardar resultados de exames ou mesmo um período de observação, antes de liberar a pessoa doente.

Nestes casos, é uma boa idéia levar um livro ou mesmo alguns brinquedos para distrair as crianças, caso estas também sejam deslocadas até o pronto-socorro.
PUBLICIDADE


PUBLICIDADE

Publicado em: 20/02/2002. Última revisão: 17/11/2018
 COLABORADORES 
Dr. Alessandro Loiola Dr. Alessandro Loiola, Médico Cirurgião Geral do Hospital Central de Vitória / ES. Membro Associado da AMIA – American Medical Informatics Association.
todos artigos publicados