Saude na Internet    Desde 1998

início > Saudável depois dos 60 anos > O impacto do cancer na vida da família do doente

O impacto do cancer na vida da família do doente


A convivência com o câncer não afeta apenas quem tem a doença.

São muitos os impactos sociais para os familiares, que são os principais cuidadores desse paciente: depressão, perda de perspectiva de vida, problemas financeiros, desgastes nos relacionamentos afetivos, entre outros.

O assunto foi abordado pela assistente social e psico-oncologista Bianca Beraldi, no II Simpósio Espiritossantense de Cancerologia.

O evento da Sociedade Brasileira de Cancerologia ocorreu de 26 a 28 de março no Centro de Convenções Vitória, em conjunto com a I Jornada de Farmácia, Nutrição e Enfermagem em Oncologia.

Diversos estudos têm apontado os prejuízos sociais para os cuidadores – em sua maioria, mulheres da família, como filhas e esposas.

Pesquisa realizada pela Unicamp com 133 cuidadores de pacientes sem possibilidades de cura mostrou que 74% dos entrevistados apresentavam ansiedade e 53% depressão.

“Existe uma angústia muito grande em ver o sofrimento do outro. Muitas vezes, o cuidador tem a impressão que não vai conseguir lidar com a situação e com todos os sentimentos conflituosos do paciente, como a negação à doença e a agressividade”, explica Bianca, que há 20 anos trabalha na área de oncologia.


Prejuízos que vão além da doença

Os prejuízos financeiros para o cuidador e sua família também são relevantes.

Estudo realizado nos Estados Unidos apontou que 31% das famílias de pacientes com câncer tiveram perda total (ou quase) das suas reservas e 20% dos cuidadores perderam o emprego.

“São números que podem ser traduzidos para a realidade brasileira, seja porque grande parte dos trabalhadores encontra-se no setor informal e não contribui com a previdência, seja porque a legislação trabalhista é omissa com relação ao direito que o cuidador deveria ter de receber uma licença por alguns meses, como acontece na França”, observa a especialista.

Segundo Bianca, o Benefício de Prestação Continuada de Assistência Social - que consiste no pagamento de um salário mínimo mensal a pessoas com deficiência incapacitante para a vida independente e para o trabalho - estabelece condições que dificultam o acesso da família do paciente com câncer ao benefício.

“Dessa forma, como em muitos casos o cuidador precisa abandonar o emprego para se dedicar ao paciente, há um rombo inevitável no orçamento familiar”.

Embora o SUS ofereça tratamentos e medicamentos para o paciente com câncer, gastos com alimentação saudável, locomoção - quase diária nos primeiros meses de tratamento radioterápico -, além de conforto e lazer, fundamentais para proporcionar qualidade de vida ao paciente, representam um impacto a mais no orçamento familiar.

Mesmo o paciente com câncer que ainda encontra-se em condições de trabalhar, nem sempre recebe apoio do empregador.

“Uma faxineira que foi submetida a uma mastectomia (retirada da mama) talvez possa ser reabilitada para outra função, mas, na prática, isso dificilmente acontece. Há casos de corporações que aceitam o paciente após o período do auxílio-doença e um ano depois o demitem. Há necessidade de políticas públicas intersetoriais para um atendimento de fato completo”, constata a assistente social.

Para Bianca, é fundamental que a sociedade tenha uma visão integral do paciente com câncer e compreenda que o correto tratamento da doença é interdisciplinar, o que significa consonância entre o tripé: família, paciente e estrutura de saúde.

“Muitas pessoas olham o paciente de câncer com um certo distanciamento, como se a doença não pudesse acontecer com elas e como se aquele paciente se resumisse a um tumor ou a um diagnóstico. Mas a pessoa com um câncer é um ser humano como outro qualquer com membros interligados, com sua consciência interligada. Enfim, com toda a complexidade humana”, resume Bianca.
PUBLICIDADE


PUBLICIDADE

Publicado em: 30/03/2009. Última revisão: 12/04/2018
 COLABORADORES 
Bianca Beraldi Bianca Beraldi é assistente social e psico-oncologista
todos artigos publicados


Mercia Ribeiro
mercia@rmcomunicacao.com.br
Ricardo Machado Comunicação

todos artigos publicados