Saude na Internet    Desde 1998

início > Saúde do homem > O corpo humano ao limite

O corpo humano ao limite


Como explicar casos como as vitórias da maratonista catarinense Márcia Narloch nas maratonas de Porto Alegre¹ e São Paulo¹, realizadas em um intervalo de apenas uma semana? Como isso é possível? O corpo humano tem limites?

Existem dois caminhos para explicarmos o sucesso de Márcia: o profissionalismo da grande atleta que usou tática e marketing perfeitos, apostando em sua capacidade e na possibilidade de outras atletas do mesmo nível que ela não completarem suas provas, além da grande estratégia de correr duas maratonas em um intervalo de apenas uma semana.

Antes de mais nada é bom que se explique que Márcia Narloch é na verdade uma das melhores atletas de Maratona do país, e isso por si só já explica seu sucesso, mas não para por aí.

Um atleta necessita de um a dois meses de repouso entre as maratonas que participa, mas isso se correr a prova no limite do seu potencial (100%) - e aí é que reside a questão de Márcia.

Ela não correu a 100%, na verdade se poupou, correndo Porto Alegre num ritmo confortável, pois sabia que as candidatas mais fortes estariam optando por São Paulo, sendo assim correu em Porto Alegre sem compromissos e venceu.

Já em São Paulo, a história foi diferente, sua principal adversária, a paulista Viviane, ia correr somente meia-maratona ela então tratou de não forçar muito no início da prova para depois apertar o ritmo -deu certo, venceu mais uma vez.

Mas, e o esforço? De onde ela tirou energia para terminar as duas provas?

Isso é outra questão tática. Acontece que Márcia não correu a 100%, mas se poupou em Porto Alegre para apertar mais o ritmo em São Paulo, e tem outro fato importante, Márcia provou a todos que tem potencial para correr uma única Maratona abaixo de 2h30, mas seu técnico deve preferir que ela vença em provas nacionais onde os prêmios em dinheiro variam de 10 mil à 30 mil reais, além de um carro 0 Km.

Márcia não desafiou a Fisiologia humana mas sim usou de tática e raciocínio profissional. Apostou que suas adversárias mais fortes não viriam a Porto Alegre e se deu bem, já em São Paulo simplesmente administrou o seu ritmo num nível confortável e também venceu.

¹ As Maratonas de Porto Alegre e São Paulo foram realizadas respectivamente nos dias 16/05/1999 e 23/05/1999.
PUBLICIDADE


PUBLICIDADE

Publicado em: 10/11/2007. Última revisão: 09/06/2018
 COLABORADORES 
Newton Bittencourt dos Santos Newton Bittencourt dos Santos é graduado em Educação Física e especialista em Medicina e Ciências do Esporte pela UFRGS - Porto Alegre. Filiado à IAAF (Federação Internacional de Atletismo Amador).
todos artigos publicados