Saude na Internet    Desde 1998

início > Saúde da gestante > Gravidez e Dispositivo Intra-Uterino (DIU)

Gravidez e Dispositivo Intra-Uterino (DIU)


PUBLICIDADE
[Saúde na Internet]
E as mulheres que engravidam com o Dispositivo Intra-Uterino (DIU), podem desenvolver uma gravidez normal? Por que muitas vezes se pratica o aborto?

[Dra. Mahuina Castolo]
Geralmente é porque o dispositivo não estava bem colocado ou não era do tamanho indicado. No México, por exemplo, existem pelo menos 3 tamanhos diferentes: um específico para as adolescentes e as que nunca engravidaram, outro para as que tiveram partos ou abortos e um terceiro para as que já tiveram um ou mais filhos.

Não é verdade que o DIU aparece cravado no bebê, geralmente ele é rejeitado até a periferia do útero conforme o crescer o bebê e a bolsa do líquido anminiótico portanto não toca sequer no feto.

Existe 50% de risco de que a gravidez se perca no primeiro trimestre quando se é portadora de DIU. Nos outros 50%, o DIU é expulso espontâneamente, retirado por médicos (após prévia investigação pela ecografia) ou ainda a gravidez segue sem problemas, mas nesses casos se aumenta o risco de parto prematuro.

O dispositivo intra uterino (DIU) não é abortivo como muitos pensam, entretanto produz alterações na função normal do útero, criando um ambiente hostil para os espermatozoides, além do que o cobre tem propriedades espermicidas (matam os espermas antes que consigam fertilizar o óvulo). Além disso, alteram a função das tropas, que tem cílios que são como pequenos tentáculos que habitualmente "barram" os espermatozoides até o encontro com o óvulo, mas com o DIU ele acaba fazendo ao contrario, repelindo os espermatozoides.

PUBLICIDADE


PUBLICIDADE

Publicado em: 01/11/1999. Última revisão: 11/11/2014
 COLABORADORES 

Dra. Esther Mahuina Campos Castolo - Médica especialista em Ginecologia e Obstetrícia. Trabalhou no Hospital Luis Castelazo Ayala, IMSS, Cidade de México - México. Certificada e Recertificada pelo Conselho Mexicano de Ginecologia e Obstetrícia. Especialista em Ensino da Medicina, Administração Clínica Hospitalar e Resolução de Conflitos médico-paciente. Sub-diretora de Investigação na Comissão Nacional de Arbitragem Médica do México - México. Exercício médico privado na Fundação Clínica Médica Sur, Cidade do México - México.
todos artigos publicados