Saude na Internet    Desde 1998

início > Saúde da família > Cuidados com a pele no verão

Cuidados com a pele no verão


Com a chegada do verão, a saúde da pele merece uma atenção redobrada.

O sol em excesso pode causar danos e alguns cuidados devem ser tomados.

“A exposição da pele ao sol causa o envelhecimento e promove rugas e manchas. A única forma de prevenir é usando o bloqueador solar”, orienta o dermatologista dr. Lincoln Fabrício. Cada cor de pele requer um fator de proteção solar.

Além disso, existem alguns mitos que acabam confundindo a cabeça de qualquer um. Afinal, quem nunca ouviu falar – e teve dúvida se era verdade – que chocolate dá espinhas, ou que o limão mancha a pele?

Essas dúvidas e muitas outras são elucidadas pelo dermatologista Lincoln Fabrício. Confira!


- Comer chocolate provoca espinhas.

Mito. Segundo o dermatologista, existem pessoas consideradas “chocólatras” que nunca tiveram espinhas.

O surgimento delas depende da oleosidade da pele de cada um. Não significa que o chocolate faça mal. A pessoa deve notar na dieta alimentar que segue, as alterações na pele e buscar orientação médica.

O que o especialista recomenda é que determinados alimentos sejam evitados. Por exemplo: amendoim e carne de porco geram oleosidade na pele, o que pode provocar espinhas.

Existem outros fatores que contribuem para o surgimento de espinhas, como o estresse, a falta de atividade física e alimentação inadequada.


- Tomar laxante limpa a pele.

Mito. O laxante limpa o intestino, daí a impressão de estar proporcionando a limpeza da pele também.

- Pomadas eliminam espinhas e acnes.

Mito. A acne é uma doença crônica.

Algumas pomadas têm a função de secar a lesão e têm efeito antiinflamatório, mas a espinha continua a aparecer.

A acne é dividida em cinco graus e cada pele exige um produto personalizado, o que não é o caso dos cosméticos que são generalizados.


- Bloqueador e protetor solar manipulados são mais eficientes.

Verdade.

Os cosméticos dificilmente têm uma linha terapêutica, por isso um tratamento não pode ser feito com eles.

Já os dermatológicos possuem ação terapêutica, trazendo maiores benefícios para a pele. Existem alguns protetores indicados para evitar a oleosidade, mas no caso da acne, não são suficientemente fortes para resolver o problema.


- O autobronzeador não faz mal à pele.

Verdade. O autobronzeador com protetor solar é mais indicado, já o óleo bronzeador aumenta a suscetibilidade da pele, por isso pode ser prejudicial.

Com o autobronzeador ocorre uma reação do creme com a camada superficial da pele, produzindo um coloramento, sem prejudicar a pele.


- Deve-se reaplicar protetor solar após transpirar ou entrar na água.

Verdade.

Antes de ir para o sol é preciso aplicar o protetor solar. Após transpirar ou entrar na água é importante reaplicar o produto, pois o fator utilizado já não é mais eficiente como antes. Ao ser reutilizado, seu poder de proteção aumenta.


- O limão mancha a pele.

Verdade.

A queimadura ocorre devido ao psoraleno, substância presente no limão. Os poros da pele dilatados absorvem essa substância e ocorre a fitofotodermatose, uma dermatite que causa a inflamação. A pele escurece, pode ficar avermelhada e promover uma coceira. A mancha desaparece com o tempo. Se formar bolha ela irá secar e posteriormente pode ficar marcas.

O dermatologista recomenda lavar muito bem a região em contato com o limão para evitar que a substância seja espalhada para outras parte do corpo.


- Usar filtro solar significa que pode-se ficar muito mais tempo exposto ao sol.

Mito. Conforme o horário, o sol é mais intenso, por isso deve-se passar o filtro solar regularmente e ficar atento aos horários de maior risco (entre 10 e 16h). Também deve-se ficar atento a forma de passar o protetor.

É comum esquecer de aplicá-lo uniformemente em todas as partes do corpo, o que aumento o risco de queimadura.
PUBLICIDADE


PUBLICIDADE

Publicado em: 21/12/2006. Última revisão: 07/01/2018
 COLABORADORES 
Dr. Lincoln Fabrício Dr. Lincoln Fabrício - Formado pela Faculdade Evangélica de Medicina do Paraná em 1994. Membro Efetivo da Sociedade Brasileira de Dermatologia. Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Dermatológica. Dermatologista pela Université d'Auvergne - França
todos artigos publicados


Expressa Comunicação