Saude na Internet    Desde 1998

início > Saúde da família > Crianças e doenças respiratórias no inverno

Crianças e doenças respiratórias no inverno


( Rafael Dias Borges )
As baixas temperaturas trazem na bagagem uma série de doenças respiratórias que afetam as crianças e preocupa a Sociedade de Pediatria do Rio Grande do Sul.

As principais são as infecciosas, causadas por vírus ou bactérias, como resfriados, gripes e sinusites.

Também é importante lembrar as doenças alérgicas, como a rinite e bronquite. Pelas mudanças do clima, é comum que elas também se manifestem com maior frequência.

As doenças apresentam sintomas parecidos, como dor de garganta, rouquidão, tosse e febre. Para identificá-las com precisão, é necessário consultar um médico pediatra.

Evite dar remédios aos filhos baseando-se apenas nos conselhos dos vizinhos ou ensinamentos da vovó.

A febre, por exemplo, não deve ser encarada como uma doença, mas sim como um sinal de alerta do organismo para algum problema em seu funcionamento.

- A febre é um sinal do organismo mostrando que alguma coisa errada está acontecendo, é uma defesa. Não é causa, é consequência. Levando-se isto em conta, existe muita controvérsia sobre quando tratar. Em geral recomenda-se utilizar medicação quando a temperatura ultrapassa 37,5º C - aponta o médico membro dos comitês de Infectologia e de Cuidados Primários da Sociedade de Pediatria do Rio Grande do Sul, Juarez Cunha.

Em geral, a febre deve ser encarada com preocupação quando ultrapassa os 39º C.

Outro mito que habita o imaginário dos pais de primeira viagem é sobre a eficiência dos termômetros digitais, que não seriam tão eficientes quanto os de mercúrio.

Na verdade, ambos são confiáveis desde que aprovados pelo Inmetro. A única diferença está na praticidade.

Você sabe, por exemplo, identificar a diferença entre amigdalite, faringite e laringite?

Na verdade, todas são quadros infecciosos que se diferem apenas pelo local onde ocorrem.

De qualquer forma, os sintomas semelhantes, como a dor de garganta, impedem a fácil discriminação entre quadros virais ou bacterianos.

Saber se doença foi ocasionada por uma bactéria é essencial, pois se este for o caso, é necessário o uso de antibióticos para o combate da doença.

Quando se trata de um vírus, os sintomas geralmente regridem sem tratamento específico.

A famosa gripe é nada mais que uma infecção viral das vias aéreas, que também pode apresentar sintomas que envolvam as amígdalas, faringe ou laringe.

O melhor modo de combater a gripe viral é a utilização de medicações inespecíficas com o objetivo de aliviar os sintomas, como analgésicos e antitérmicos.

A diminuição de apetite é normal nesses quadros infecciosos. Justamente por isso, é tão importante fazer uma avaliação com o pediatra, para que seja possível analisar a necessidade de submeter à criança a algum tratamento específico.
PUBLICIDADE


PUBLICIDADE

Publicado em: 26/06/2012. Última revisão: 14/07/2017
 COLABORADORES 

PlayPress Assessoria de Imprensa
todos artigos publicados


A Sociedade de Pediatria do Rio Grande do Sul foi fundada em 1936.
Atualmente conta com cerca de 1.750 sócios, e se constitui em orgulho para a classe médica brasileira e, em especial, para a família pediátrica.

todos artigos publicados