Saude na Internet    Desde 1998

início > Saúde da mulher > Câncer de mama: novas técnicas de diagnóstico

Câncer de mama: novas técnicas de diagnóstico


( Marcelo Matusiak )
Uma nova tecnologia está contribuindo para que praticamente 100% das lesões mamárias possam ser identificadas pelos médicos.

O diagnóstico se dá através do uso combinado de mamografia, ultrassom e ressonância magnética.

A novidade mais recente é uma técnica que permite a chamada Biópsia à Vácuo e Agulhamento guiados por Ressonância Magnética (RM).

- Em casos de câncer já diagnosticado, a Ressonância Magnética pode detectar lesões adicionais e ao invés da paciente fazer uma mastectomia, ou seja, retirar a mama inteira, pode-se investigar as novas lesões através da biópsia por ressonância magnética.

É uma tendência mundial com um benefício imenso ao paciente já que evita cirurgias desnecessárias - comenta o médico radiologista e diretor Médico da Serdil Radiologia, Rogério Dias Duarte.

A técnica é minimamente invasiva e permite diagnosticar lesões mamárias não-palpáveis, identificadas somente por este método de alta sensibilidade.

São situações que podiam ficar ocultas aos métodos convencionais de imagem que são mamografia e ultrassom.

O médico chama a atenção ainda para a grande contribuição em pacientes considerados de alto risco.

- Existem pacientes com alto risco para ter câncer de mama que são jovens com histórico familiar e com mutações genéticas BRCA 1 e 2. O risco é muito grande de ter câncer de mama ao longo da vida, chegando a ser superior a 25%. Essas pacientes têm câncer quando jovens e a mamografia é limitada porque o equipamento tem sensibilidade menor em mamas densas. Nesses casos, a Ressonância Magnética tem se mostrado mais eficiente para diagnosticar as lesões, sendo fundamental utilizar os procedimentos invasivos guiados por ressonância magnética - explica.

A ressonância magnética de mamas é um procedimento seguro e indolor que utiliza a energia magnética e ondas de rádio para produzir imagens detalhadas das mamas.

O médico complementa dizendo que a ressonância magnética não é para qualquer caso, e não substitui a mamografia, mas serve como uma ferramenta auxiliar.

A expectativa é que a biópsia por ressonância magnética melhore a habilidade de encontrar casos de câncer que não eram vistos anteriormente.

O câncer de mama é o segundo tipo mais comum de câncer entre mulheres no Brasil e é considerada a principal causa de morte por esse tipo de doença entre as pessoas do sexo feminino.
PUBLICIDADE


PUBLICIDADE

Publicado em: 20/07/2011. Última revisão: 13/08/2018
 COLABORADORES 

PlayPress Assessoria de Imprensa
todos artigos publicados


Serdil Radiologia é uma clínica especializada em exames de Radiologia e Diagnóstico por Imagem, com 38 anos de tradição. Referência no Rio Grande do Sul em métodos diagnósticos, atualmente, presta serviços nas áreas de ressonância magnética, tomografia computadorizada, mamografia, procedimentos mamários minimamente invasivos, densitometria óssea, ecografia convencional, ecografia com doppler a cores, ecocardiograma e radiologia geral.
todos artigos publicados