Saude na Internet    Desde 1998

início > Saúde da mulher > A fidelidade pode estar no DNA

A fidelidade pode estar no DNA


Talvez no futuro muitos solicitem um exame de DNA antes de iniciar um relacionamento mais duradouro.

Esse exame dirá se o(a) pretendente terá mais ou menos tendência a ser infiel.

Ficção-científica? Talvez não.

Um estudo do Instituto Karolinska, em Estocolmo - Suécia, concluiu que os homens são mais fieis quando carecem de uma variante de um gene que influencia na atividade do cérebro.

"Os homens com duas cópias do gene apresentam o dobro de risco de experimentar conflitos na relação e divorciar-se, em comparação com os homens sen nenhuma cópia", explicou Hasse Walum, diretor do estudo que analisou mais de 1.000 casais heterosexuais, em entrevista ao jornal The Washington Post.

Presente em dois de cada cinco homens, a variante do gene influencia também na probabilidade de que ocorram problemas de convivência no matrimônio.

“As casadas com homens com uma ou duas cópias do gene mostram a média de satisfação mais baixa em relação às mulheres unidas com homens que carecem dessa variante”, acrescenta o científico.

O estudo baseou-se nos homens porque o hormônio examinado desempenha um papel maior em seus cérebros do que no das mulheres.

Como era de se esperar, o descobrimento provoca um grande debate a respeito da utilização da genética nos relacionamentos entre casais.

"Essa informação pode ajudar o homem e sua esposa quando se casam", afirma Helen Fischer, antropóloga da Universidade de Rutgers, em Nova Jersey – Estados Unidos, especialista em amor romântico.

Para ele, conhecer os "pontos francos" seria útil para superar futuros problemas.

Mesmo destacando o estudo e a importância do gene, Walum salienta que existem muitos outros fatores que condicionam o comportamento da vida do casal.

A cultura, religião e a origem familiar influenciam também a atitude do homem em relação a fidelidade.

Se o futuro das relações de um casal pode estar mesmo nas mãos da biologia, só o tempo dirá.
PUBLICIDADE


PUBLICIDADE

Publicado em: 02/09/2008. Última revisão: 16/11/2018
 COLABORADORES 

Redação Saúde na Internet